terça-feira, novembro 09, 2004

SERÁ QUE TÉDIO MATA?

SEGUNDA - FEIRA
Acordei 4:40 da manhã, fazia tempo que nao acordava neste horário, e depois que estava pronta eu estava com uma disposição tão boa que eu me lembrei de como era gostoso acorda cedo e ir para aula.
A prova foi péssima, e sei quando digo isso. Mas que sirva de lição pelo menos. Outra coisa, eu acredito que mesmo que seja ruim necessito passar por isso. Não sei, mas tem algo que preciso perceber neste novo momento que estou vivendo.
Aqui em casa as coisas estão tranquila que me dar até medo, mas hoje depois da prova me deu uma vontade clara de ir embora de Recife, nao sei se conseguirei, mas vou tentar sim.
Farei a minha inscrição na UFPE.
Ah! eu viajei escutando Pink Floyd, eles são bem legais mesmo, mas o que me faz chorar mesmo é o Bruce Springsteen em Greatest Hits.
Eu estou passando por uma fase de muita cobrança interna e não sei se é bom, porem estou passando por ela e espero viver para contar como foi e quais as lições.
TERÇA- FEIRA
Hoje tive a certeza que não passei no mestrado (seleção de mestrado da Universidade Federal Rural de Pernambuco, 2005), e o pior que sei que tenho capacidade de passar e isso me deixou desesperada. Depois da prova me deu muita vontade de ir para algum lugar bem longe, e o pior que penso tanto na minha mãe, mas meu coração deseja ir embora para pode cuidar da minha vida. Sabe que quando falo com ela e que estou mal, não gosto que ela saiba porque ela sofre comigo. Gostaria de entender porque essa triste me segue, este tédio que insiste em não ir embora. Engraçado porque acho que o que está me fazendo falta são as aulas durante o dia, sinceramente não suporto aula à noite. E por isso acho que não concluirei este segundo curso.
Depois que fui ao centro de Recife fazer copias de alguns documentos e tentar encontrar uma revista com uma reportagem, fui ao shopping e almocei só e isso é algo que não gosto e penso como deve ser difícil viver sozinha e este é o meu medo de ir embora morar fora daqui de Recife. Mas vou ter que ir, pois aqui não há emprego na minha área e nem ao meu nível, então não posso ficar aqui esperando e me lamentando porque não posso fazer algumas coisas. Principamente por falta de grana.
Depois fui à praia de Boa Viagem passear e ler um pouco de livro “Ninguém é de ninguém” da Zibia..., e chorei por ver casais no maior love e vejo como é gostoso e como preenche uma parte de nossa vida.
Desde que me abalei com o afastamento de um amigo estou me sentido triste com esse sentido de ausência. Mas não por falta de consciência, pois sei que há inúmeras pessoas com fome, deficientes, sem ter conquistado nem metade dos objetivos que eu, mas quando se estar vivendo se deseja continuar e quando há uma parada é um tanto difícil seguir, mas creio que vou me reencontrar novamente a força de continuar crescendo.
Eu sempre tive esse sentimento desde criança. E hoje sei que quando estou nesta fase necessito de ajudar psicológica, pois só não consigo me recuperar. Nem as minhas aulas me empolgam mais e fico triste porque me gratifico quando vejo que meus alunos estão aprendendo, isso me fortalece.
O engraçado que esses males sempre faz a gente querer se afasta das coisas que mais gostamos, mas por que será isso? São alguns desses pontos que me faz eu ficar angustiada, e um dos principais é que desejava muito um acontecimento e como estar está próximo não vejo mais tanta graça, por que isso acontece??? Mas eu desejava tanto! Mas eu espero melhorar logo...

Nenhum comentário: