sábado, novembro 20, 2010

UM BOM HÁBITO 2

Seguindo a seqüência vamos falar hoje sobre o 2º bom habito. Esse posto foi feito três vezes, pois simplesmente tenho a preguiça de escrever aqui no word e escrevo direto no blogs e quando vou fazer alterações, muitas vezes, ele simplesmente apaga tudo e quando dou o comando de desfazer não vai... OOO!!!
Como desenvolver o hábito da leitura? É a primeira pergunta que é feita pelos pais na tentativa de seus filhotes adquirirem o hábito de ler principalmente usando apenas os livros escolares. E quando na verdade é necessário estimular mais de forma a dar possibilidades de escolhas. No meu caso não foi tão fácil ou difícil, pois só aprendi quase na 3º ou 4º sério do ciclo fundamental. Tive dislexia quando criança, então durante as chamadas orais eu simplesmente não lembrava o que era o O ou U ou simplesmente os objetos (falo isso noutro post).
Contudo fui aprendendo a lidar com essa coisa e não perdi mais de ano, e descobri a capacidade de memorizar alguns objetos, sinais etc depois de percebe o que acontecia comigo, ou seja, precisava conhecer aquilo para fixa, hoje se leio um texto, raramente preciso reler para fazer uma prova ou fazer um resumo. E se os meus filhos nascerem com isso, creio eu que estarei atenta para auxilia-los.
Segundo o autor:
Desenvolver o costume da leitura é muito óbvio. Segundo ele, desde pequeno somos aconselhados a ler. Só que se vincula demais o hábito com certo saber cultural. Uma postura acadêmica. Para ele, ler significa também aumentar o vocabulário e as alternativas do cérebro de buscar respostas e saídas. Quem sabe um número maior de palavras, construções fraseológicas e modelos de raciocínios verbais certamente reúne mais condições de pensar amplamente. Buscar novos modelos, sair do “ caminho já trilhado”
Por outro lado, é inútil tentar incutir em “alguém o hábito da leitura sem que lhe mostremos caminhos para isso. E acredita que a leitura precisa de motivação.
Eis algumas dicas do autor:

a- Estabeleçar competições literárias com amigos ou /e parentes – Prefiro a proposta dos nossos cursos de vivencia, onde lemos os livros e fazemos rodas de discussões sobre o conteúdo, havendo a possibilidade de cada um colocar o seu ponto de vista, mostrando muitas vezes uma compreensão que o outro não teve lendo o mesmo. Mas fica a dica.
b- Preparar palestras sobre assuntos de que gosta, nem que seja para fazer na associação do bairro, do clube, na entidade filantrópica... onde quer que seja. Depois que começou falar em publico , descobriu o quanto isso nos estimula o aprendizado e, assim, poder compartilhar conhecimentos com os outros.
Será que pode ser blogs – uma tese – artigos -
c- Estabelecer com meta (com data e tudo) escrever um livro – escolher o assunto e comece a trabalhar imediatamente. Essa “brincadeira” pode tornar-se uma verdade.
d- Determine para você mesmo uma cota mínima mensal de livros a serem lidos. Por exemplo, uma obra técnica e um romance etc.
e- Seja um expert, um “ guru” na sua área de atividade . Não se contente em ser apenas um bom profissional do seu segmento. Eleja o sonho. Ser o grande conhecedor do assunto. Isso o forçará a ler mais do que o habitual. A partir daí, escreva artigos para a imprensa e torne-se fonte de informação.
No meu caso, algumas dicas eu não consigo e não quero encarar ou incluir em minha vida, já se foi a época de querer competir, quem sabe no futuro.

Um ótimo sábado a todos nós!
bjs!
Fonte do texto: livro - O desafio da liberdade , Claudir Franciatto, SP Marron Books, 1999.

2 comentários:

Afrodite disse...

Acho que o hábito da leitura é algo a ser estimulado desde criança!Eu tive um avô maravilhoso que fez isso por mim!
E o exemplo também faz muito por nós!
Aqui em casa meu filho ganha de mi livros ao longo do ano,e me vê sempre com um livro na mão!
Quer melhor exemplo?
Um beijo!

analice disse...

É verdade, já dizia jesus... trabalhar e demonstrar o melhor caminho pelo exemplo...