terça-feira, agosto 03, 2010

FEEDBACK


Hoje logo após as duas primeiras horas de trabalho a chefe liga na minha mesa e me convoca a comparecer em sua mesa para uma conversa. Sempre fui ansiosa e tento ao máximo evitar conflitos, agora mais que nunca. Mas lá fui eu, orando, pedindo a Deus para eu me controlasse e não falasse mais que a boca e evitasse assuntos polêmicos.
Chegando lá imaginando que ela fosse me dar uns sermões e fazer avaliação mensal do meu desempenho (pensamento baseado em todos os posicionamentos reprovativos durante o mês em relação a toda a equipe e inclusive a mim). Contudo, me surpreendi quando ela falou que percebeu que estava a dias com uma expressão desmotivada e me ressaltou que sabe da minha “vontade”na visão dela de querer ser demitida, enquanto que na minha é uma necessidade. Preciso rever parentes e mudar algumas coisas na minha vida que estando trabalhando lá não se tem, pois não posso planejar férias tão pouco planejar outros cursos ou lazeres devido ao ritmo e horários de trabalho. E segundo ela queria saber como me ajudar. Informei que o porquê da triste no ambiente, uma sensação de escravidão, vigilância, de pressão que as minhas colegas de trabalho estavam passando. O clima estava deixando a minha alma angustiada, um medo de sentar e debater algum assunto com ela, isso me causava uma repulsa dela e sabendo que isso não é bom, vinha a dias solicitando a Deus que trabalhasse em meu intimo para mudar isso.
Mencionei sobre as regras e conduta de ética da empresa que apenas valoriza o lucro, que os profissionais se chocam e se estagnam quando entram no próprio interior, se questiona o que esta fazendo para contribuir com a própria evolução seja financeira, moral, profissional e/ ou até espiritual na atual gestão.
E finalizou dizendo que estava disposta a mudar, me ajudar no que eu precisasse e que estava chegando o momento da minha saída da empresa, mas deixei claro que não busco promessas dela, assim como fizeram outros superiores anteriores.
Falei também que neste momento estou aguardando a solução de Deus e da justiça, que como sempre trabalhei honestamente e comprometida (algo ressaltada por ela mesma) porque necessito do salário e conduta pessoal, inclusive hoje é uma obrigação para mim. Mas que em momentos em que eu esteja doente me ausentarei mesmo.
No momento em que ela começou a ressaltar as minhas qualidades como profissional, eu finalizei dizendo que uma das coisas que me chocou foi que quando retornei de férias (julho) tinha mudado de equipe, a primeira coisa que ela buscou, além dos acessos sistêmicos foi verificar quantas advertência eu obtive em 5 anos de empresa. Alegando procurar o meu histórico. Naquele momento gelei e hoje ela afirmou que usou isso para me conhecer, retornei questionando porque então ela não buscou os meus feitos, o comprometimento, as contribuições com o gerente ou qualquer outra pessoa, já que segundo ela o meu supervisor anterior não estava no setor mais.
Chorei quando falei que 3 amigas, profissionais boas e comprometidas solicitara ao gerente e a ela mesma para sair da equipe porque não suportavam mais a forma dela trabalhar.
O ruim que sair mal da conversa, mesmo que aliviada e até pedi desculpas por ter revelado sentimentos e sensações tão ruins a respeito dela, mas que na verdade queria amenizar ou até mesmo que sumisse do meu ser, pois não quero me ligar a ela por algo tão ruim e que ela buscasse se entender e rever as atitudes não precisando nem pedir desculpas, pois algumas pessoas ou boa parte não estavam mais disposta a aceitar. Estou eu agora com uma enxaqueca danada, mas como hoje tem evangelho no lar, creio que ficarei melhor após a finalização dele.
Mas graças a Deus pelo dia de hoje.

5 comentários:

Jorge disse...

Analice,
realmente compplicado a relação no trabalho. Mas devemos rever conceitos em relação a isso pois estamos no lugar certo, no momento certo, com as pessoas certas. Creio ser necessário nos perguntar o que tenho que aprender (não na questão profissional) e a ensinar. Pois, somente resolvendo estas questões filosóficas, primeiro, e em ação, depois, é que sairemos da empresa. Do contrário, ao buscar outro emprego, vamos encontrar os mesmos chefes, companheiros, etc. para nos testar naquilo que não aprendemos de onde saimos. É a vida nos perguntando, enquanto Espírita, que estamos fazendo para nos melhorar melhorando os outros e mesmo o ambiente? Somos, afinal, instrumentos de Deus onde estivermos.

Desculpe este longo comentário.

Um beijo, Anjo!!!

cris disse...

oi amiga querida, nossa, imagino como foi essa conversa, mas é bom quando a gente tem a oportunidade de falar abertamente sobre o que estamos sentindo, tambem costumo a Deus pra me ajudar a melhor interior, principalmente com relação a outras pessoas. Ultimamente graças a Deus, estou em paz com o mundo, aplicando o ensinamento do "viva e deixe viver". Mas sou ansiosa como voce, meu corpo reage imediatamente. Espero amiga, que tudo se resolva da melhor maneira, tudo tem seu tempo né? e as vezes isso é uma coisa que voce precisa passsar no caminho da evolução. Já trabalhei em empresas complicadas, chefia ruim e não aguentei muito não, pedi demissão, por isso imagino sua angustia, espero que o Evangelho tenha renovado seu espirito, sua confiança e fé. Não da pra explicar o que a gente sente quando acaba né? Estou aqui se precisar viu amiga?

Um beijão, linda quarta!

analice disse...

Obrigado amigos,

Na verdade eu me aliviei sim quanto aos assuntos porque eu sou uma pessoa que tenho um habito que guardar e depois explodir e isso nao é bom e vai de encontro ao ensinamentos espiritas e critãos... e por isso, hoje peço a DEus que me auxillie e me faça enfrentar e esclarecer e continuar a vida, pois nao é preciso se ligar aqueles que tifizeram mal, voce pode esclarecer, tirar as partes boas na auto analise e continuar vivendo e se melhorando com a sua caminhada e limpeza espiritual...
E hoje se consigo enfrentar todos esses entemperies é graças a Deus e ensinamentos morais...
mas essa dinamica de viver e deixar viver é linda e muito pratica...
a quarta foi mesmo tranquila, serena e bem friazinha... e passei uma bela tarde ao lado da minha mamis... no shopping que nao somos de ferro, fui comprar lembranças para a criançada(sobrinhos) de recife e irmãos;

Maria José disse...

Analice. Penso exatamente como nosso amigo Jorge. Estamos em constantes provas nesta vida, amiga. Beijos.

analice disse...

eu também concordo e sei que se nao consegui pedir as contas ate agora, é justamente porque sei que nao vai me adiantar correr de la...