sexta-feira, setembro 10, 2010

DEFINIÇÃO

O jovem se queixava com o professor. Sentia-se desolado.
Não via pessoa alguma no padrão que desejava. Aqui, uma pessoa generosa mostrava a praga do orgulho; ali, era alguém revelando cultura com manifesta crueldade de sentimentos.
De que modo conciliar os imperativos da lei de amor, se todas as criaturas, na Terra, patenteiam deficiências e falhas? Perguntava o rapaz aturdido.
O orientador escutou pacientemente as lamentações do aprendiz e, depois de longa pausa, considerou:
- Sim, meu filho. Em verdade, aqueles que apenas encontram defeitos nos outros é que ainda não querem ou não podem amar ninguém...
Enviado por Jorge do blog Nectan Reflexões (http://nectantaurus.blogspot.com/

3 comentários:

Silvia disse...

Gostei muito dessa historinha tão verdadeira!! bjs

Special' mom disse...

Adorei o espaço ...
E já estou seguindo viu?
bjinhos

cris disse...

oi amiga, saudade de você!

sobre o post, primeiro:

será que esse rapaz se acha tão perfeito assim? de cara ele já tá cometendo um erro que Jesus condenou bravamente:

"O julgamento"

Digo isso, porque é esse o pensamento que tenho toda vez que penso em criticar alguem.

"quando vou pensar num defeito de alguem, páro e penso primeiro numa qualidade"

dessa forma estou conseguindo manter o foco no "bem" das pessoas, eu acredito que as vezes a gente vê nos outros o mal que há em nós mesmos, isso prova o quanto somos imperfeitos e temos que aprender né?

Beijão!